"O CORAÇÃO ALEGRE É BOM REMÉDIO, MAS O ESPÍRITO ABATIDO FAZ SECAR OS OSSOS. Pv:17.22;

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

TUBERCULOSE PULMONAR

Definição: Infecção bacteriana contagiosa causada pelo organismo Mycobacterium tuberculosis (TB) e que envolve principalmente os pulmões, embora possa se disseminar para outros órgãos.
Causas: A tuberculose pode se desenvolver a partir da inalação de gotículas de saliva expelida pela tosse ou espirro de um indivíduo infectado com o Mycobacterium tuberculosi. A doença é caracterizada pelo desenvolvimento de granulomas (tumores granulares) nos tecidos infectados. Os órgãos mais sujeitos ao aparecimento da doença são os pulmões, embora ela possa também se desenvolver em outros órgãos. A infecção inicial é geralmente assintomática. Nos Estados Unidos cerca de 95% das pessoas afetadas pela TB primária deverão se recuperar sem qualquer sinal posterior da doença. A TB pulmonar se desenvolve na maioria das pessoas cujo sistema imune não foi capaz de destruir com sucesso a infecção primária. A doença costuma aparecer algumas semanas após a infecção primária, ou ficar latente durante anos antes de causar a doença. Os bebês, os idosos, e os indivíduos imunodeprimidos (aqueles com AIDS, os que estão fazendo tratamento de quimioterapia, ou receptores de transplantes que tomam medicamentos contra rejeição) apresentam risco mais alto de contrair a doença. Na TB pulmonar, a extensão da doença pode variar desde um envolvimento mínimo até um comprometimento maciço, porém sem um tratamento efetivo a doença se torna progressiva.
Incidência: O risco de se contrair TB aumenta em decorrência do contato freqüente com portadores Da doença, e também em locais de grandes aglomerações ou de condições de vida insalubres e alimentação precária. Nos Estados Unidos ocorreu, recentemente, um aumento na incidência de TB.
Fatores de risco: Os fatores que podem contribuir para a disseminação da doença tuberculosa são: * aumento dos casos de AIDS; * aumento do número de desabrigados (ambiente de pobreza); * mal nutrição; * desenvolvimento de cepas resistentes às drogas contra tuberculose. O tratamento incompleto das infecções de TB (não tomar os medicamentos durante o período prescrito) pode contribuir para a proliferação de cepas de bactérias resistentes à droga. Os indivíduos imunodeprimidos pela AIDS quase sempre desenvolvem tuberculose ativa mediante exposição ao organismo. Além disso, sem o auxílio de um sistema imune ativo o tratamento fica mais difícil e a doença mais resistente à terapia.
Sintomas: A princípio não aparentes, ou limitando-se a tosse fraca e pouca febre; * fadiga; * perda de peso; * tossindo sangue; * febre leve e sudorese noturna. Sintomas adicionais que podem estar associados a esta doença: * sibilação; * estertores; * sudorese excessiva; * dor articular; * diminuição da audição; * diarréia; * dor no tórax; * dificuldade respiratória; * reflexo de Babinski positivo; * malformação dos dedos das mãos e dos pés.
Sinais e exames: O exame dos pulmões feito com o estetoscópio (auscultação pelo médico) permite detectar as crepitações. Os exames geralmente são: * raio-X de tórax; * cultura da expectoração; * teste de tuberculina; * broncoscopia; * biópsia de pulmão a céu aberto.
Tratamento: É indispensável o fornecimento ininterrupto e gratuito das drogas e a supervisão das tomadas, com prioridade absoluta para os “pulmonares positivos”. Medicação: R=rifampicina; H=isoniazida; Z=pirazinamida; E=etambutol; ET=etionamida; S=estreptomicina; Esquemas de tratamento segundo a situação do caso: Esquema Básico (esquema I: 2RHZ/4RH); Esquema Básico+etambutol (Esquema IR: 2RHZE/4RHE); Esquema para tuberculose meningoencefálica (Esquema II: 2RHZ/7RH); Esquema para falência (Esquema III: 3SZEEt/9EEt);

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.